Análise aos Resultados Eleitorais

>> segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Nota: Talvez o post mais longo de sempre. Mas, acho que vale a pena!

Procurarei fazer uma análise com a maior objectividade possível. Devem ser relevados três planos de apreciação distintos: A análise nacional, a análise concelhia e a análise das 10 freguesias sob a égide de circunscrição da JSD a que presido.

Perspectiva Nacional:

O PS consegue mais alguns votos que o PSD. Contudo, o PSD tem mais presidentes de junta e mais Presidentes da Câmara Municipal. Conquista ainda as principais Câmaras do País, como sejam Porto, Sintra, Cascais, Gaia ou Faro. O PS, conquista Lisboa, Braga e também Leiria. Em termos de transição, o PSD vai ganhar Farto e o PS ganha Leiria. Parece-me, por tudo isto, que o PSD ganha, verdadeiramente, as eleições autárquicas, muito embora se releve uma melhoria do Partido Socialista e seja complicado afirmar uma vitória clara e esclarecedora do Partido Social Democrata.

Em termos de ciclo eleitoral, o PSD ganha as Eleições Europeias e ganha as Eleições Autárquicas, ganhando o Partido Socialista, as Legislativas, mas perdendo a maioria absoluta e cerca de meio milhão de votos. Posto isto, penso que o PSD é o vencedor de um ciclo eleitoral com três eleições, relembre-se, e que não existem motivos para os Socialistas cantarem vitória.

Num outro domínio, ainda no campo nacional, julgo que o CDS-PP é também um grande vencedor, onde consegue um resultado extraordinário nas Europeias, fora-de-série nas Legislativas e regular nas Autárquicas. Marca-se também, o inicio do fim do Bloco de Esquerda, um partido com prazo de validade, relativamente curto. Nas Legislativas, falhou o objectivo de ser o terceiro partido politico mais votado, de chegar aos dois dígitos e de ser decisivo e suficiente na formação de uma maioria absoluta. Hoje mais um falhanço, onde perde em muitos lados, mas com especial incidência, para a não eleição de qualquer vereador em Lisboa e no Porto. Confesso-vos, que a foi a intervenção de Louçã que mais apreciei ver.

O PSD, vai para mais um período de algum debate interno. Mas deve ser feito com a serenidade e a ponderação aconselhada. Devemos ir com calma, com respeito pelas pessoas e pelos prazos mais convenientes. Não devemos persistir nos mesmos erros. Hoje provou-se, que o PSD tem belíssimos quadros e que terá um futuro risonho.

A Nível Nacional, Rui Rio é um dos grandes vencedores, ao revalidar a maioria absoluta no Porto. O outro, julgo que é Menezes, com uma votação histórica em Gaia. Contudo, não se deve deixar de salientar a vitória, com maioria absoluta, do acordo coligatório Unir Lisboa, liderado pelo Dr. António Costa. Costa, bem ou mal, ganhou as eleições. Teremos nas próximas semanas, tempo suficiente para debatermos sobre o que julgo que muitas pessoas, onde me incluo e espero poder dar um forte contributo, devem fazer perante estes resultados em Lisboa.

No Plano Nacional, devo fazer menção a Lisboa. Pedro Santana Lopes, perdeu as eleições, por pouco, mas perdeu. Longe dos 12% que as sondagens lhe davam. Uma campanha fantástica, com atitude e com sentido. Da minha parte, só tem elogios. Da minha parte, agora que tudo acalma, farei tudo o que puder para aproveitar a enorme capacidade de Pedro Santana Lopes, na perspectiva de serviço ao Partido e à cidade que ainda pode e deve ter.

Descendo ao panorama Local:

Devo começar por felicitar o Engenheiro Carlos Teixeira pela extraordinária vitória que obteve. Sobe, praticamente, 10 mil votos, 10 pontos percentuais e passa a ter uma maioria absoluta que não tinha. É uma grande vitória do PS local, no que à eleição para a Câmara Municipal diz respeito.

O PCP perde 6.000 votos para a Câmara Municipal e cerca de 4.000 votos para a Assembleia Municipal, mesmo tendo apostado em Bernardino Soares, figura muito conhecida nas hostes comunistas. O Bloco de Esquerda, perde votos em Loures, praticamente 1.000. O CDS-PP, em Loures, cresce entre 2.000 e 3.000 votos, diferenciando os órgãos, Assembleia e Câmara Municipal. Ou seja, o PP a subir e a extrema-esquerda a descer.

O PSD, perde cerca de 200 votos para a Câmara Municipal e quase 1.000 votos na Assembleia Municipal. A este respeito, entraram seis deputados municipais do Partido Social-Democrata, sendo que o sétimo elemento, o representante da JSD, fica como primeiro suplente. Pergunta-se: Será que a aposta no elemento da JSD num lugar mais acima, com outra visibilidade, teria sido suficiente para evitar este resultado do PSD? Independentemente, de ser eu ou outra pessoa qualquer, não teria feito sentido fazer uma aposta na Assembleia Municipal, por contraposição à aposta feita na Câmara Municipal, no que a target político diz respeito? A realidade é que se perdeu 1.000 votos. Mais, quem andou durante anos a dizer que o Dr. Miguel Frasquilho e a Dra. Suzana Toscano eram maus candidatos, engoliu hoje os sapinhos todos. Não vale a pena, andar às voltas. O PSD, a nível Municipal, tem uma estrondosa derrota que deve fazer repensar muitos. Mas eu continuo a dizer o mesmo de sempre: Não é com apresentações para as pessoas que já estão “catequizadas”, não é não apostando em material para a JSD, colocando outdoors desconexos de toda a campanha e, sobretudo, não é estando parado quatro anos e acordando apenas nos últimos meses que se conseguem bons resultados. A realidade não é essa. É necessário que as estruturas locais entrem em reflexão profunda e que se altere de uma vez por todas a forma como se faz política em Loures. Mas será que os resultados nas 10 freguesias pertencentes à circunscrição do PSD/Moscavide e da JSD/Moscavide, foram assim tão maus. Cabe fazer uma análise, freguesia a freguesia. Antes disso, no entanto, gostaria de me deter sobre o que se passou em Lousa.

Em Lousa, o PSD cresce praticamente 30%, triplica o número de votos e ganha a junta de freguesia. De terceira força politica, abaixo dos 10%, ganha a Junta de Freguesia. O PSD, passa a ter dois presidentes de junta de freguesia, e nessa medida cresce na Assembleia Municipal. Excelente resultado. Parabéns a quem de direito. Vamos então analisar freguesia a freguesia. Comecemos pela Portela.

Na Portela, o PSD ganhou as eleições com Maioria Absoluta. 49%. Elege, para além dos 5 membros de executivo, mais 7 elementos para a Assembleia de Freguesia. Assim, a JSD terá 1 elemento no executivo, o Jorge Veiga Testos, e dois elementos efectivos na Assembleia de Freguesia, o Jorge Batista e a Mariana Seixas. A Ana Batista é a primeira suplente. Assim, na Portela, são eleitos pela JSD 3 elementos. E vão ver o resultado nas mesas jovens, contra todas as expectativas. Parabéns, sinceros, à candidata Manuela Dias, mas sem qualquer presunção, grande JSD na Portela. Grande JSD. Uma palavra para o Pedro Correia, terceiro suplente, que mostrou bem o espírito com que encara a politica. Deu tudo o que tinha na campanha, não olhando para o lugar em que foi colocado. Mas hoje podemos falar nisso: A aposta no Pedro Correia, deveria, efectivamente ter sido outra. Mas enfim. Ai vão 3 na Portela. Mais uma maioria Absoluta.

Bobadela – O PSD sobe na Bobadela. De 1 para 2 elementos. Querem adivinhar quem era o segundo elemento da lista do PSD? Eu dou-vos uns segundos. Tiago Duarte, Presidente da Mesa da JSD/Moscavide. Mais um elemento da JSD. PSD, sobe na Bobadela e elege o segundo membro na Assembleia de Freguesia. Coincidência?

Camarate – Tudo igual. PCP ganha, sem maioria absoluta. PSD mantêm os seus dois elementos. O Tiago, o primeiro da JSD em Camarate, fez uma campanha do outro mundo. Deu o que tinha e não tinha. Ia em quarto lugar. Coincidência?

São João da Talha – PSD mantêm os seus dois deputados. Eleito o Hélder Silva, que ia em segundo na Lista. Ai vão 5 eleitos, da JSD/Moscavide.

Santa Iria da Azóia – CDU reforça a liderança. PSD, mantêm um deputado. Desce um pouco na votação. No entanto, um abraço para o candidato do PSD a essa freguesia, pelo trabalho meritório que desenvolveu.

Apelação – PSD mantêm um elemento. Mas agora PS tem maioria absoluta. Desce em Percentagem. Mau.

Unhos – PS a subir de forma imparável para uma estrondosa maioria absoluta. Esse crescimento fez estragos. PCP perde dois elementos, PSD perde um. Muito, muito mau.

Sacavém – PSD sobe em votos e em percentagem. Grande campanha da Daniela. Adivinham o numero dois? Gonçalo Almeida Garrett, da JSD. Ai está ele. Mais um eleito da JSD, numa freguesia em subida.

Prior Velho – José Luís Figueira. Grande, grande, grande nome do PSD Local. É certo que a Assembleia de Freguesia deixou de ter 9 elementos para passar a ser 13, e que também por isso o PSD sobe de 1 para 3 elementos. Mas não se tente escamotear. Pensou-se mesmo diferente. O PSD cresce 250 votos e 7 pontos percentuais. É muito bom.

Moscavide – 262 votos a mais. Mais 5%. De terceira para segunda força politica, de dois membros para três elementos na Assembleia de Freguesia. Fantástico. O candidato, eleito em primeiro lugar, foi o Sérgio Perfeito, membro da mesa da JSD/Moscavide. Foi o candidato da Jota. Mas neste processo todo, se fiz alguma exigência foi em colocar a Mariana Manarte em terceiro lugar nesta lista. Não queria o segundo, nem o quarto. Pedi o terceiro. Acreditei que a Mariana tinha um capital de votos próprio e que a aposta reforçada na juventude nesta freguesia, com o primeiro e o terceiro lugar, poderiam permitir ao PSD recuperar o seu terceiro elemento. Foi o que sucedeu. A aposta na JSD deu resultados e pude festejar esta noite, um grande resultado em Moscavide.

Quanto a trabalho autárquico, cada pessoa na vida tem mais aptência para uma coisa ou para outra coisa. Ouvi algumas vezes que talvez pudesse ter orientado as Autárquicas como maior prioridade para a secção da JSD/Moscavide do que aquilo que realmente foram. Mas estavam enganados. A JSD/Moscavide, ao longo destes quatro anos pensou em autárquicas. Mas pensou em ter os melhores, para apresentar soluções credíveis ao eleitorado. Não queremos quotas para a JSD. Queremos as pessoas porque elas merecem. Assim, num Concelho onde o PSD tem 16%, em 10 freguesias a JSD elege:

Jorge Veiga Testos – Portela
Jorge Batista – Portela
Mariana Seixas – Portela
Sérgio Perfeito – Moscavide
Mariana Manarte – Moscavide
Tiago Duarte – Bobadela
Gonçalo Almeida Garrett – Sacavém
Hélder Silva – São João da Talha.

8 Elementos. E ficámos a poucos votos, de eleger a Ana Batista, na Portela. Isto chama-se trabalho, e sobre autárquicas estamos conversados. Dei, ao longo destas semanas o meu melhor. Poderia ter feito mais? Claro que sim. Podemos sempre fazer mais. Mas a JSD/Moscavide afirmou-se sempre pela capacidade que tem em travar múltiplas batalhas ao mesmo tempo.

Amanhã começa um novo ciclo na vida politica da JSD. O ciclo autárquico está arrumado. Devemos agora olhar para as reformas estruturais que a JSD precisa. Para as reformas estruturais que a JSD em todo o Distrito de Lisboa Precisa. Coordenadoras a funcionar, Gabinetes verdadeiramente úteis, departamentos temáticos, descentralização dos conselhos distritais, maior periodicidade das reuniões alargadas a presidentes de secção, marcar uma agenda de causas verdadeiramente representativa dos anseios e objectivos dos jovens que estudam, trabalham ou vivem no Distrito de Lisboa. Essa será uma prioridade nos próximos tempos. Com toda a calma. Eu diria com muita calma.

Aqui no Laranja Choque, tentarei dar mais algum enfoque ao que se vai passando a nível local, pois percebi o interesse dos leitores Concelhios. Não deixarei de dar conta das minhas opiniões sobre a vida interna do PSD. Manterei os post’s num tom intimista. E convidarei alguns grandes nomes a escreverem qualquer coisa por aqui. E não vou adiantar nomes, mas acreditem que alguns deles farão todo o sentido. Todo o sentido. Mas quero trazer para a blogosfera o debate sobre as verdadeiras questões relacionadas com a JSD/Lisboa. Mas com calma e ponderação. Determinação mas cautela.

Para quem leu tudo até ao fim, mande e-mail com a morada, para eu enviar um saco de rebuçados.

11 comentários:

Anónimo 12 de outubro de 2009 às 14:28  

É importante aqui referir que o PS em 13 Freguesias teve 12 Maiorias.
Isso parece que não falas-te, o PS foi quem mais subiu no Concelho, tendo também a Maioria Para a Câmara e Assembleia Municipal.
E aqui podíamos também falar da JS, sendo que foi eleito um membro da JS para vereador na Câmara Ricardo Lima, pergunto eu será que aqui este nome também não influenciou as contas, não podemos esquecer que em Moscavide para a Câmara o PS subiu e teve a maior maioria de sempre em Moscavide, tanto para a Câmara como para a Junta, podíamos falar também de Sacavém onde foi uma grande maioria, como Loures e Bucelas que a 30 anos que era CDU e o PS ganhou com maioria e em São João da Talha em que o PS ganhou e teve apenas a 3 votos da Maioria. Camarate para a Câmara uma grande maioria também.
Quem sai vencedor destas eleições no Concelho de Loures foi claramente o PS e a JS, que ao longo da campanha colocou nas Ruas mais de 100 membros.
Em Moscavide o Sérgio esteve bem é verdade, foi buscar os votos do BE, em quanto o PS foi buscar da CDU e também do BE.
Mas não podemos esquecer que em 2001 o PSD tinha na Assembleia de Moscavide 3 membros perdendo em 2005 1 membro para o BE. O PS agora tem 8 na Assembleia de Freguesia um numero histórico, sendo esta já de sempre uma Freguesia Socialista, quando se trabalha bem isto acontece. Sempre a subir.
Eu já tinha dito aqui por várias vezes que íamos ter maioria absoluta para a Câmara, disseste que não, agora tens a prova de quem realmente conhece o Concelho e as Freguesias do mesmo.

Tiago Mendonça 12 de outubro de 2009 às 18:08  

Caro Anónimo,

Vejo que nem a vitória de ontem o motivou para assinar o que escreve. É lamentável. Já percebi, que há muito tempo que anda com vontade de falar da Juventude Socialista e do vereador Ricardo Lima. Falemos então.

A vitória do Partido Socialista em Loures, tal como referi no post, foi extraordinária. Nunca pensei que fosse possível passar de um cenário de maioria relativa para maioria absoluta. E aproveite este parágrafo para ter o seu momento de massagem ao ego. O PS, reforça a maioria absoluta, não só pelo voto útil, que se transferiu do PCP para o Partido Socialista, mas também pelo mau trabalho realizado pelo PSD. Não na Campanha, mas nos últimos quatro anos.

Quanto à Juventude Socialista, está obviamente de parabéns. A eleição de um vereador foi muito importante. E sim, considero que isso teve influência no resultado. Acho que apostarem num jovem para o sexto lugar à vereação foi uma boa jogada. De Parabéns o Partido Socialista.

Mas também não lhe ficava nada mal assumir, que num Concelho em que o PSD tem 16% e se deparou com tamanhas dificuldades para se estabilizar e segurar o seu eleitorado, a JSD/Moscavide eleger 8 elementos em 10 freguesias, não é propriamente um mau resultado.

No meu comentário não pude referir todas as freguesias. Mas em Bucelas, foi também uma extraordinária vitória do PS.

Vamos ser claros, até porque não me quero estar sempre a repetir. O PS ganhou, eu diria, goleou no Concelho de Loures. O PSD, esteve muito mal e teve uma derrota pesada. Ainda assim, nas 10 freguesias a que me referi o PSD subiu de votação na maioria, aumentou o numero de mandatos, segurou a maioria absoluta na Portela. Julgo que a JSD, tem uma quota parte, para não dizer uma parte maioritária no sucesso desses resultados. Do lado das restantes 8 freguesias, sublinho o extraordinário resultado em Lousa. O PSD passa de 3ªforça politica, para 1º. Sobe 30%. Umas palavrinhas sobre isso caro anónimo.

Termino, da maneira que aposto que mais gostaria. Parabéns, Ricardo Lima. Parabéns JS. Parabéns PS.

Anónimo 13 de outubro de 2009 às 00:40  

A JS esteve muito bem no concelho, a aposta no 6º foi realmente importante, porque ele mexe com muitos jovens, acho que o PSD falhou na aposta a CML, mas acertou em algumas apostas em algumas Freguesias, nomeadamente em Moscavide, porque o PSD em Moscavide conseguiu retirar uns bons votos ao BE. Como em não considero o BE como um Partido Politico, fiquei contente, mas queria referir que o PS em Moscavide teve o melhor resultado de sempre.
Já agora posso dizer que pertenço sim a JS, em Moscavide e chamo-me Fernando Costa, sou amigo pessoal do Ricardo Lima e considero um exemplo para todos nós aqui da JS.
Ontem foi um dia bastante importante para a JS em Moscavide porque a eleição do Ricardo, faz-nos motivar a todos nós jovens desta secção, porque verificamos que o Partido confia em nós para trabalhar e não só para abanar bandeiras. Abraço Tiago e espero um dia que possamos organizar um debate do concelho entre as nossas duas J.

Tiago Mendonça 13 de outubro de 2009 às 01:01  

Caro Fernando Costa (Finalmente!),

Obrigado, em primeiro lugar, por assinar o comentário.

De facto, a visão de que os jotas têm mais aptência para abanar bandeiras e colar cartazes é algo que não se compadece com o novo paradigma das juventudes partidárias. Hoje, as juventudes partidárias comportam nas suas fileiras pessoas mais qualificadas e com grande qualidade.

A aposta no Ricardo Lima, em sexto lugar para a veração foi uma excelente aposta. Mas, Fernando, a a receita é simples. Aposta-se nos jovens e ganha-se. Não se aposta e perde-se.

Quanto ao debate, é quando quiserem. Teria muito gosto.

Ricardo Andrade 13 de outubro de 2009 às 05:29  

Caros Tiago e Fernando,
Gostaria apenas de mostrar a minha concordância com a vossa opinião de que a aposta na juventude se torna algo de fundamental na vida política nacional e na vida política do nosso concelho.
Sem renovação de quadros torna-se inevitável que a classe política se afaste das populações. Como tal o caminho a seguir deve ser sempre um caminho de aproximação e não o de afastamento.
Existem algumas forças partidárias ( que não as em que ambos militam ) que sempre chamam a si mesmas o património de uma aposta na juventude. Mas como se comprova pelo panorama nacional não tinham razão. Primeiramente porque não são os únicos a fazer essas apostas e depois porque as apostas não devem ser desenfreadas mas sim bem pensadas e respeitando as pessoas ( eleitos e eleitores ) e os seus valores.
Não posso deixar de referir também que julgo proveitoso para as juventudes partidárias e, neste caso, para o concelho a interacção entre juventudes partidárias dos vários espectros políticos.
Deixo em jeito de despedida uma nota positiva para o futuro das juventudes partidárias no nosso concelho na medida em que, se observarmos bem, existirão no próximo mandato no Concelho de Loures ( quer nas Assembleias de Freguesia e Municipal, quer nos executivos de Freguesias e Camarário ) pelo menos duas recentes gerações de intervenientes políticos oriundos dos quadros das juventudes partidárias do concelho. Este facto demonstra que, pelo menos nisso, o Concelho está no rumo certo.
Um abraço para ambos.

PedroSantanaLopes 13 de outubro de 2009 às 17:01  

Agradeço o interesse pelas eleições de Lisboa e as palavras simpáticas sobre a campanha feita e sobre os resultados obtidos.
Felicito a JSD de Moscavide, e de todo o Concelho de Loures, pelo número de eleitos, em circunstâncias tão exigentes.
Um abraço

Pedro Santana Lopes

Tiago Mendonça 13 de outubro de 2009 às 21:57  

Caro Ricardo Andrade,

Agradeço o teu comentário. Sejamos claros. O BE, arroga-se de ter o monopólio da aposta na juventude. Nada mais errado.

Os jovens votam BE, mas votam BE, exclusivamente, quando não é apresentada uma alternativa jovem e credivel. O que os jovens querem é representantes jovens. Se apenas o BE apresentar jovens nas suas listas, então o voto acaba por recair no BE. Mas, como se comprovou, nomeadamente em Moscavide, assim que outros partidos, no caso o PSD, apresenta jovens, lá se vai o pseudo-dominio do Bloco.

Tiago Mendonça 13 de outubro de 2009 às 22:01  

Caro Pedro Santana Lopes,

Muito mais do que ter um comentário de um ex-primeiro ministro, muito mais do que ter um comentário daquele que é para mim o autarca modelo no nosso país, este é um comentário de alguém que admiro muito, de alguém que é para mim um exemplo de amor às causas em que se acredita e de determinação nos objectivos a atingir.

Neste pequeno blogue pessoal, ter um comentário do Dr.Pedro Santana Lopes, é sem duvida uma honra e um enorme orgulho. Não consigo dizer muito mais. A emoção não permite.

Um muito, muito Obrigado!

Anónimo 13 de outubro de 2009 às 23:35  
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo 31 de outubro de 2009 às 11:57  

Só um pequeno e breve esclarecimento: o Ricardo Lima pode ser militante da JS mas não foi indicado por esta para qualquer lugar. Aliás o Ricardo Lima pouco ou nada fez alguma vez pela JS e vamos lá ver que trabalho é que vai fazer na Câmara Municipal de Loures.

Tiago Mendonça 31 de outubro de 2009 às 15:00  

A ver vamos. A bem do Concelho, era bom que o trabalho desenvolvido fosse bom.